Norberto Serpa alerta para as consequências de alga invasora

«Essa alga conseguiu matar todas as nativas», diz o experiente mergulhador

A PRAIA DE PORTO PIM coberta de algas é um cenário desolador que se tornou frequente nos últimos tempos. Com ventos do quadrante sul esta praia foi, desde sempre, fustigada por manchas de sargaço (uma alga popularmente chamada “saragaço”), no entanto, a abundância da alga que presentemente a invade é muito maior do que anteriormente, ao ponto de impedir que seja frequentada por banhistas. A presença da nova alga não ocorre apenas em Porto Pim, mas também em outros locais.

O problema tem sido discutido publicamente, as autoridades já efetuaram limpezas, mas a situação persiste, afetando, pelo cheiro, a qualidade de vida nas redondezas.

A fotografia apresentada ao lado, publicada, no sábado, 10 de setembro, no Facebook por Paulo Salvador, na qual se vê a praia coberta de algas, deu azo, de novo, à discussão sobre o assunto nesta rede rede social.

O experiente mergulhador, técnico da Universidade dos Açores da área da oceanografia e empresário marítimo-turístico, Norberto Serpa, comentou o “post” escrevendo que começou a notar a alga em causa nos mares dos Açores há cerca de três anos. E acrescentou: «Infelizmente posso dizer-vos que nos últimos mergulhos que dei este ano [observei que] essa alga conseguiu matar todas as nativas, fazendo uma completa cobertura do fundo que nem algas nem larvas existem… até uma outra alga invasora que o DOP [Departamento de Oceanografia e Pescas] tentou controlar, mas em vão, neste momento luta pela sua sobrevivência». |X|

Um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s